11 Princípios – Declaração dos Direitos das Pessoas em Recuperação

Nós membros de Faces & Vozes da Recuperação No Brasil, cremos e defendemos que:

11 Princípios – Declaração dos Direitos das Pessoas em Recuperação

1 – Todas as pessoas em recuperação têm o direito de se desenvolver e se inserir socialmente, independente do seu passado, devido à doença da adicção.

2 – Todas as pessoas em recuperação, assim como seus familiares e amigos têm o direito de conhecer a natureza da doença da adicção, as formas de reabilitação e as barreiras para a recuperação avançada.

3 – Todas as pessoas que buscarem por recuperação tem o direito imediato a atendimento médico, centro de tratamento, incluindo uma avaliação abrangente de sua condição.

4 – Todas as pessoas em recuperação tem o direito de selecionar serviços que edifiquem nossos esforços, munidos de informações completas sobre as experiências e credenciais dos serviços oferecidos, e a eficácia de serviços e programas aos quais procuram por ajuda.

5 – Todas as pessoas que buscarem por recuperação tem o direito ao atendimento em serviços de saúde e previdência social sem discriminação de cor, raça, etnia e gênero garantindo acesso a saúde e segurança de qualidade de forma igualitária e que trabalhe conosco e nossas famílias afim de que encontrem um caminho para recuperação.

6 – Todas as pessoas em recuperação tem o direito de ser reconhecidas mais do que sendo uma estatística, sem qualquer estigma ou rotulo que nos caracterize como fracos ou de moral duvidosa. Se recaírem e começar novamente, devem ser tratadas com dignidade e respeito, e nossos esforços contínuos serem reconhecidos.

7 – Todas as pessoas em recuperação tem o direito ao atendimento médico especializado por profissionais que reconheça o processo de recuperação garantido, inclusive, a escolha de tratamento com enfoque religioso, espiritual e secular, o envolvimento de suas famílias, parentes, curadores indígenas como parte de sua experiência no tratamento.

8 – Todas as pessoas em recuperação tem o direito de exigir ser representadas por políticos que removam barreiras para oportunidades educacional, familiar e laboral, uma vez que estamos no caminho da recuperação avançada.

9 – Todas as pessoas em recuperação tem o direito a um tratamento respeitoso e não discriminatório, como em qualquer outra doença crônica, com os mesmos recursos, serviços sociais adquiridos e direitos trabalhistas. O plano de tratamento deve se construído entre os profissionais de saúde e as pessoas em recuperação, refletindo a seriedade, complexidade e duração de nossa doença, fornecendo oportunidades de manutenção da sua recuperação.

10 – Todas as pessoas em recuperação, sob a tutela do sistema judiciário criminal tem o direito ao tratamento e apoio social para sua reinserção após cumprir sua sentença.

11 – Todas as pessoas em recuperação tem o direito de falar em publico que a recuperação de longo período é uma realidade.